Tags

, , , , ,

Repare que foi tirada do meu celular, e a minha unha aparece! Mas o importante é que essa era a decoração de uma das festas que eu fui!

Eu estava prestes a escrever um texto sobre a minha viagem para Dublin, mas acho que ela vai requerer mais tempo do que a minha pior essay (e olha que eu nunca tive que escrever tantas essays, reports e pro-formas na minha vida, aqui o negócio é bem mais sussa para os professores, eles dão uma hora de aula por semana e te pedem 30 horas escrevendo uma redação com 30 referências. Estou fazendo um TCC e uma iniciação científica sem ao menos ter escolhido essas matérias).

Considerei escrever sobre os tipos de meninos que encontrei aqui no Reino Unido, depois considerei se deveria escrever em português ou em inglês. Inglês porque não quero que a minha família leia sobre a minha opinião a respeito de homens ou meninos ou em português porque não quero que os mesmos leiam sobre eles. Quero ser uma Carrie Bradshaw, mas bastante água tem que rolar ainda.

De acordo com a Carolina Seauciuc eu sou uma “strong independent woman” e deveria escrever sobre o que eu quiser, então vamos para uma versão light do assunto.

Os meninos daqui e eu digo meninos porque eles tem entre 18 e no máximo 21 anos são o contrário do que eu esperava. Não sei se eu não tenho convivido o suficiente com heterossexuais no Brasil ou se eu que sou estranha mesmo ao considerar que se você é homem, tem que ter iniciativa senão vai morrer sozinho.

Essa regra não mudou nos últimos 50 anos, certo? Pelo que eu saiba, as meninas tem muito mais iniciativa agora, mas nada obriga os homens a ficarem sentados esperando que elas ataquem e se dizendo tímidos. Tímidos uma ova! (referência ao musical Chicago, “Single my #*#(*”)

Desde que eu cheguei aqui e lembrando que esse lugar é uma bolha e tudo acontece muito rápido, um The Sims no fast forward, conheci muitas pessoas, homens, mulheres, x! Percebi que:

–          Bissexuais são a definição de gênero mais comum. Eles se definem como “greedy” porque querem os dois gêneros. Não sei se eu concordo muito, mas pelo que eu vi em filmes, (huahuhua), a faculdade é a época das pessoas experimentarem. Enfim,…

–          Homens solteiros e heteros não são tão raros quanto na farmácia, mas ao mesmo tempo são lerdos, MUITO lerdos. Eles se dizem tímidos e não falam com você, porque they like you! Sério mesmo??? Não é assim que funciona, e se o livro “Ele não esta tão afim de você” me ensinou alguma coisa é que se o cara não chega em você em uma festa depois de você mandar uma mensagem com um smile, é porque ele não esta afim de você e não porque ele está com vergonha. Sinceramente? Não tenho paciência, nem boa vontade, talvez eu não esteja tão afim dele.

–           Na mesma festa eu tive o privilégio de ser a única menina em um grupo e os meninos acharam interessante me aconselhar sobre como chegar em alguém. Na minha mente eu estava rezando para as minhas amigas estarem ali comigo porque era uma cilada, Bino. Minha autoestima saiu melhorada, mas a minha fé de que os homens daqui teriam alguma iniciativa foi para o saco. Eles simplesmente são tímidos e talvez por isso bebam tanto, para conseguirem ter qualquer reação ou ação.

–          Alguns se salvam, um espécime irlandês que eu conheci é o que eu imaginava de cara pegador, mas de novo, ele é irlandês e não inglês. Para ele dormir com alguém é só mais uma tarefa da to do list.

–          E finalmente um dos meus favoritos, os que namoram. Relacionamentos aqui são incrivelmente bizarros, eles não são levados tão a sério quanto no Brasil. Ou eu acho… Mas não sei se eu quero entender, muito drama! A propósito, não estou falando de um cara em específico, já vi isso acontecendo com mais de um.

–          Temos o muleque que acabou de entrar na faculdade e quer aproveitar. Nada mais normal, exceto que ele conta as histórias mais melodramáticas para justificar que ele simplesmente não esta afim de você. Mesmo se você perguntar: “Você gosta de mim?” Ele não perde a oportunidade de te confundir dizendo: “Eu estaria mentindo se dissesse que não gosto.” Ou seja, os homens, ou meninos daqui são mais melodramáticos que o Edward do Crepúsculo, sim nesse nível.

–          Já vi românticos britânicos chamando para sair, sim, tendo os famosos dates e realmente dispostos a chamar a menina de namorada.

–          Existem os caras que no Brasil seriam definitivamente pegadores, mas só precisam de muito, muito, muito álcool e muita pressão da sociedade para fazer algo que eles realmente querem, beijar uma menina. Na verdade a tensão no casal é óbvia faz tempo, mas ele tem medo e acha que vai levar um fora. Lógico que não! Olha o seu abdômen, garoto!

–          Os que ladram mais do que mordem, pagam uma pose de pegador, fazem comentários que te levam a pensar isso, mas que no fim ninguém nunca o viu ficando com ninguém.

–          Alguns receiam tanto e pensam tanto se deveriam ou não fazer alguma coisa, chamar para sair, pedir em namoro, o que seja, que acabam perdendo a oportunidade, mesmo sendo perfeitos cavalheiros.

Eu sinceramente acredito que devem ter caras que só querem curtir, ou que não queiram nada sério com ninguém, e que não precisam conhecer a menina primeiro antes de beijá-la se eles não existirem aqui, alguma coisa está muito errada com o equilíbrio do planeta! Eles devem estar todos no Brasil!

Minha conclusão é só uma, britânicos flertam, dão em cima, seja qual for a palavra, mas na hora de realmente chegarem em alguém ou tomarem iniciativa, demoram mais do que a próxima era do gelo vai demorar para chegar.

Não que eu esteja reclamando muito do fato deles serem respeitosos e serem mais passivos do que as mulheres aqui, de vez enquando é bom ver a palavra flertar ou o antigo cortejar. E só o fato deles terem o sotaque mais lindo do mundo e eu amar ouvi-los falar sobre qualquer coisa (na verdade eu seria a melhor namorada do mundo considerando isso…). Os brasileiros podiam aprender um pouco com os gentlemen daqui, um intercâmbio cultural seria bom. Mas ninguém gosta de extremos né? Até o Mr. Darcy foi preconceituoso.

Poor English version

I was about to write an article about my trip to Dublin, but I think it will take longer than my worst essay (and I’ve never had to write so many essays, reports and pro-forms in my life, here work is much more easy  for teachers, they give one hour of lecture per week and ask you to do 30 hours writing an essay with 30 references. I’m doing a Project Research and a final dissertation without even choosing these modules).

I considered writing about the kinds of boys I met here in the UK. Should I write in Portuguese or  in English? English because I do not want my family to read about my opinion on men or boys or Portuguese because I don’t  want them to read about themselves. I want to be a Carrie Bradshaw,  but is it easy? Should I?

According to Carolina Seauciuc I am a “strong independent woman” and should write about whatever I want, then, I will go for a light version of it.

The boys here and I say boys because they are between 18 and a maximum of 21 years old are the opposite of what I expected. I do not know if I have not lived enough with heterosexuals in Brazil or if I’m  a weirdo, but I think that if you are a man you must have initiative otherwise you will die alone.

This rule has not changed in the last 50 years, right? From what I know, girls now have much more initiative, but  nothing allows men to sit and wait for them to attack and pledge shyness. Shy my ass! (Reference to the musical Chicago, “Single my # * # (*”)

Since I got here, and remembering that this place is a bubble and everything happens very quickly, The Sims in fast forward, I met many people, men, women, x! I realized that:

– Bisexuals are the most common definition of gender. They define themselves as “greedy” because they want the two genres. I do not know if I quite agree, but from what I saw in  the movies, (huahuhua), university is the time when people experience. Anyway, …

– Single and straight men are not as rare as back home, but at the same time they are very, very, verrrryyyyy slow. They say they are shy and do not talk to you because they like you! Seriously?? That’s not how it works, and if the book “He’s not that into you” has taught me anything is that if the guy does not hit on  you at a party after you send him a message with a smile, it is not because he likes you.  Honestly? I have no patience or goodwill, maybe I’m just not  into him.

– At the same party I had the privilege of being the only girl in a group and the boys thought it was interesting to take their time to advise me on how to show my feelings (if you know what I mean) to someone. In my mind, I was praying for my girlfriends to be there with me because it was a trap. My self-esteem improved, but my faith that men would have some initiative here was flushed in the toilet

– Some  can be saved, an Irish specimen I know is what I imagined the laddish lad to be, but again, he is Irish, not English. For him, sleeping with someone is one more task in his to do list.

– And finally one of my favourites, The ones in a relationship. Relationships here are incredibly bizar, I don’t understand and really I don’t want to, they are too confusing, its ok to be flirtatious even if you are dating someone else. Me no like it!

– The brats who just got in the uni and want to enjoy himself. Nothing more normal, except that he tells the most melodramatic stories trying so hard to justify that he is just not into you. Even if you ask, “Do you like me?” He does not miss an opportunity to confuse you by saying, “I’d be lying if I said I do not like.” That is, men or boys here are more melodramatic than Edward from Twilight, yeah that level.

– I’ve seen British romantic guys asking girls out, yes,  those famous dates and really they are really willing to call the girl, his girlfriend.

– There are also the guys who would definitely  be a menwhore in Brazil, but they  need  lots of alcohol and peer pressure to do something they really want, kiss a girl. In fact the  sexual  tension between the couple is palpable, but he is afraid and thinks he’ll get turned down. Of course not! Look your abdomen, boy!

– Those who bark more than bite, pose as a lad, make comments that lead you to think that they make out with everyone, but in the end no one has  ever seen him with anyone.

– Some are so afraid and  overthink whether or not to do something, asking out a girl on a date, kiss her, tell her that he likes her, whatever, that they lose the opportunity, even if he is a perfect gentlemen.

I sincerely believe that there should be guys who just want to enjoy themselves, or do not want anything serious with anyone, and do not need to know the girl before kissing her. If they do not exist here, something is very wrong with the homeostasis of the planet ! Maybe all of them are in Brazil!

My conclusion is that British like to flirt, but when they have to make a move it will take longer than the next ice age will take to arrive.

Not that I’m complaining much of their being respectful and being more passive than women here, once in a while is good to see the word flirting and courting. The Brazilians could learn a little from the gentlemen here, a cultural exchange would be good. But nobody likes extremes right? Even Mr. Darcy had prejudice.